Allianzimage description

O que é Dióxido de Carbono?

1
  • 13 Julho 2007
Por Astrid Zwick
Pessoas fantasiadas de moléculas de carbono protestam contra a poluicao. / Créditos: Reuters

Pessoas fantasiadas de moléculas de carbono protestam contra a poluição. (Foto: Reuters)

O dióxido de carbono é a razão número um da mudança climática provocada pelo homem. Mas o que é realmente o dióxido de carbono? De onde ele vem? E por que os governos e as empresas estão agora se empenhando em reduzir suas emissões desse gás?

A molécula de dióxido de carbono (CO2) consiste em um átomo de carbono e dois de oxigênio. Incolor e inodoro, é de difícil detecção. A quantidade de dióxido de carbono na atmosfera tem sido instável durante toda a história da Terra, mas o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas estima que, nos períodos pré-industriais, o CO2 constituía cerca de 280 ppmv (partes por milhão em volume) da atmosfera terrestre.

Embora haja outros gases estufa, como o metano e o ozônio, que capturam mais calor por molécula, o dióxido de carbono é o segundo gás estufa mais importante depois do vapor d’água. O metano e o ozônio são mais eficientes, mas têm menos efeito sobre a mudança climática devido à sua menor concentração atmosférica.

Aumento do CO2 induzido pelo homem
Desde o início da Revolução Industrial, a quantidade média de dióxido de carbono na atmosfera aumentou em cerca de 40%, a partir de um valor estimado de 280 ppmv para mais de 380 ppmv. Esse aumento na parcela de CO2 da atmosfera deve-se principalmente a fatores antropogênicos (induzidos pelo homem), como, por exemplo, a queima de combustíveis fósseis, o desmatamento e a produção industrial.

No total, os seres humanos emitem cerca de 32 gigatons de dióxido de carbono a cada ano. Metade disso permanece na atmosfera; o restante é absorvido pelos oceanos e pela vegetação. Com aumentos acentuados nas emissões de CO2 causadas pelo homem, o ciclo natural de CO2 entra em desequilíbrio: a vegetação não consegue mais transformar a quantidade aumentada de CO2 em oxigênio e os oceanos seguramente estão atingindo o nível de saturação. O resultado do aumento da quantidade de dióxido de carbono na atmosfera é um aumento do efeito estufa e, consequentemente, uma mudança climática. Embora o CO2 seja responsável somente por 20% do efeito estufa natural, ele responde por cerca de 60% do efeito estufa antropogênico, que está causando a mais recente onda de aquecimento global.

Fontes do dióxido de carbono
O dióxido de carbono sempre esteve presente entre nós. Os cientistas afirmam que a antiga atmosfera da Terra era formada principalmente por vapor, dióxido de carbono e amônia proveniente de erupções vulcânicas. Hoje, o dióxido de carbono é produzido em sua maior parte pela combustão de matéria orgânica, como carvão, óleo e madeira, pela fermentação e pelos processos respiratórios dos organismos vivos.

A maior parte do CO2 é formada pela produção e pelo transporte de energia. A produção de cimento, entre vários outros processos químicos, também libera o gás. Materiais em decomposição liberam CO2. Assim, os aterros também contribuem. As pessoas são outra fonte. O ar que exalamos é formado por cerca de 4,5% de CO2. As bactérias do solo liberam CO2 quando digerem folhas e carcaças. Mesmo plantas, que habitualmente absorvem CO2, o exalam à noite.

Qual é a função do dióxido de carbono? Para quê serve?
Embora o CO2 esteja sofrendo com a má fama ultimamente, ele é uma das substâncias mais importantes na Terra. Além de proporcionar temperaturas mais quentes, ele é também o fertilizante mais importante do mundo. Plantas, fitoplânctons e algas necessitam do gás para sua fotossíntese, destinada a produzir açúcar e crescer. Ao fazê-lo, eles absorvem e ligam dióxido de carbono, produzindo oxigênio. Eis por que as florestas são um dos mais importantes reservatórios de CO2 do mundo.

Teoricamente, os aumentos dos níveis de CO2 podem ser compensados por plantas e algas. Até uma determinada concentração, mais CO2 significa mais fotossíntese e mais crescimento. Infelizmente, sob condições de calor e seca, muitas plantas fecham seus poros para impedir a perda de água e mudam para um processo denominado fotorrespiração, durante o qual consomem oxigênio e produzem dióxido de carbono. Níveis assim elevados de CO2 somente levarão a um crescimento superior em áreas com precipitação pluviométrica suficiente e solos férteis.

Além desses processos naturais fundamentais, há diversos usos artificiais de dióxido de carbono. O gelo-seco, por exemplo, usado para resfriar dispositivos, nada mais é do que dióxido de carbono profundamente congelado, superfrio. O CO2 também pode ser encontrado em extintores de incêndio e, assim como o aditivo de alimentos E 290, confere efervescência a refrigerantes e água gasosa.

Sobre a autora

Astrid Zwick é Chefe do Departamento de Sustentabilidade do Grupo Allianz. Desde 2005, ela também atua como presidente da equipe de Estratégia e Direcionamento do “Programa de Pesquisa de Sustentabilidade” do Ministério Alemão de Educação e Pesquisa.

Antes de iniciar sua carreira na Allianz SE, a Dra. Zwick foi responsável pela orientação na análise de opções políticas, tecnológicas e econômicas para a redução de gases estufa no Centro de Pesquisa Conjunta (JRC) da Comissão Europeia.

Ela detém um título de doutorado em Impacto da Mudança Climática sobre Ecossistemas e estudou Geologia e Paleontologia na Ludwig-Maximilians-Universität, em Munique.



Comments (1)

Monika: 25.05.2011, 17:30

Interessante, bastante informativo.

 
top